Quem queira seguir Jesus,
Em seus ásperos caminhos,
Não há de fugir-lhe à cruz,
Toda formada de espinhos.

Alguém talvez interrogue:
-“Esses espinhos quais são?”
E os entraves da jornada
Fornecem explicação.

E a lágrima de quem pede,
É o sarcasmo do descrente,
É o logro do obsessor,
É a vaia de muita gente;

É a doença imaginária,
Sem trato que nos atenda,
É a tentação enfeitada
Que parece de encomenda;

É a crítica do inimigo,
É o tapa do ignorante,
É a tesourinha das trevas
Que nos corta a todo instante;

É o vinagre da conversa
De quem não deseja a paz,
É o cochicho venenoso
De quem censura e não faz;

É o irmão desesperado
Que nos procura, a berreiro;
É a discussão agitada,
É a fuga de companheiros;

É a briga na parentela,
Criando desilusão;
É a hora do desalento
É o dia da solidão.

Meditemos nesse assunto:
Observar é dever.
Quem queira seguir Jesus
Tem muito espinho a vencer.

Jair Presente – psicografia de Chico Xavier

Do site Caminhos de Luz

Anúncios